Neo Solutions - Soluções para gestão do escritório contábil

sistemas para gestão da empresa contábil


Entenda o cálculo do Simples Nacional 2018 14/12/2017

A partir de 2018 o Simples Nacional terá um cálculo diferente como todos já sabem. Ao invés de possuir 6 anexos e várias faixas dependendo do faturamento dos últimos 12 meses, agora existirão apenas 5 anexos separados em 6 faixas distintas.

Outra informação importante é que o limite de faturamento anual foi aumentado de R$ 3.600.000,00 para R$ 4.800.000,00.

Um aspecto que vale a pena ser explorado é o seguinte:

“As atividades que serão enquadradas no novo Anexo V, que na sua maioria são oriundas do antigo anexo VI terão um fator “R”, da folha de pagamento, que influenciará a continuidade do cálculo no Anexo V ou no Anexo III.
Esse fator R, corresponde a divisão dos custos que a empresa teve com a folha de pagamento nos últimos 12 meses, pelo faturamento dos últimos doze meses. Multiplicando esse resultado por 100, chega-se a uma proporção, que caso seja superior a 28% sua empresa será enquadrada no Anexo III, caso contrário continuará no Anexo V”.


A informação acima é importante porque ser enquadrado no Anexo III significa pagar menos imposto, por isso a importância da sua empresa fazer uma estimativa, caso sua atividade esteja enquadrada no Anexo V.

Já o cálculo da alíquota a ser aplicada sobre o faturamento para saber o valor da guia do Simples Nacional naquele determinado mês de competência teve algumas modificações.

Agora existe um ator novo que é a parcela a deduzir, então para facilitar a explicação do quanto será pago de impostos, acompanhe o exemplo abaixo:

Considere uma empresa que esteja enquadrada no Anexo I ( Comércio ), e que nos últimos 12 meses teve um faturamento de R$ 200.000,00 (duzentos mil reais).

O faturamento no mês de competência, no qual será aplicado a alíquota efetiva, foi de R$ 18.000,00 (dezoito mil reais).

Receita Bruta em 12 Meses (em R$)AlíquotaValor a reduzir (em R$)
1ª faixaAté 180.000,004,00%-
2ª faixaDe 180.000,01 a 360.000,007,30%5.940,00
3ª faixaDe 360.000,01 a 720.000,009,50%13.860,00
4ª faixaDe 720.000,01 a 1.800.000,0010,70%22.500,00
5ª faixaDe 1.800.000,01 a 3.600.000,0014,30%87.300,00
6ª faixaDe 3.600.000,01 a 4.800.000,0019,00%378.000,00


Nesse caso a empresa estará enquadrada na segunda faixa do Anexo I

Então para chegar-se na alíquota efetiva deve-se seguir a seguinte fórmula:

Alíquota Efetiva = ( RBT12*Alíquota Nominal - PD) / RBT12 , onde:

RBT12 = receita bruta acumulada nos doze meses anteriores ao período de apuração
Aliq: alíquota nominal constante dos Anexos I a V
PD: parcela a deduzir constante dos Anexos I a V

No exemplo dado chega-se na seguinte conta:
Alíquota Efetiva = (200.000*7,30% - 5.940) / 200.000

Alíquota Efetiva = 4,33%

Logo:

Guia do Simples = R$ 18.000,00 x 4,33%

Que nos dá o resultado de R$ 779,40

Caso sua empresa seja fique na sexta faixa de algum dos anexos, dependendo do seu ramo de atividade, você terá que pagar o ISS ou o ICMS a parte.



QUER FAZER OS CÁLCULOS ATRAVÉS DA NOSSA CALCULADORA ONLINE?


Basta acessar:http://neositecontabil.com.br/calculadora-simples-nacional

Essa calculadora é uma das muitas funcionalidades do Neo Site Contábil para ajudar a vida dos nossos clientes empresários contábeis.

Para ver um Neo Site Contábil "EXEMPLO" rodando com todas as suas funcionalidades acesse o seguinte link:http://www.neositecontabil.com.br

Se você ficou interessado no Neo Site Contábil e suas funcionalidades, clique aqui para solicitar uma demonstração.






por Neo Solutions